Viagem Santiago, Chile – Dia livre, passeios – Parte 4/5

City tours nunca nos levam a todos os lugares interessantes das cidades, então, sempre que viajamos, mesmo quando optamos por fazer alguns passeios com excursão e city tour guiado, gostamos de tirar alguns dias livres, para conhecer o que o city tour não cobriu.

Na nossa viagem para Santiago, reservamos dois dias completamente livres, sem passeios com excursão, para visitarmos outros pontos aos quais o city tour não nos levou, mas que queríamos conhecer.

Então no primeiro dia livre, fomos ao bairro Belas Artes, um bairro de artistas, com vários barezinhos. Lá fica a casa de Pablo Neruda La Chascona. Visitamos a casa, muito interessante, vale a visita! E almoçamos ali pelo bairro.

Depois do almoço, caminhamos até Cerro Santa Luzia, que tem um mirante no topo. Nesse morro não se sobe de ônibus, fomos a pé. O Marcos quase teve um treco, mas eu queria ir até o topíssimo e ele teve que acompanhar rsrsrs. Tá, lá em cima bate uma ventania… não indicado para quem tem medo de altura.

Já tínhamos feito basicamente tudo o que havíamos planejado, então no nosso segundo dia livre passeamos pelo bairro onde estávamos hospedados, fomos ao Costanera Shopping. Bem, constatamos que poderíamos ter passeado mais no dia anterior e não precisávamos de dois dias livres. Mas essa dica já não vale para quem pretende visitar museus, por exemplo.

Ao procurar fotos para postar aqui, percebemos que quase não tínhamos fotografo nesses 2 dias… ficamos andando em volta e acabamos nem lembrando muito da câmera. Mas tem fotos nas postagens anteriores: City tour, Vinícola Concha y Toro, Valparaíso e Viña del Mar.

Anúncios

Viagem Chile – passeio em Valparaíso e Viña del Mar – Parte 3/5

Quando fomos para Santiago, no Chile, em novembro de 2012, reservamos um dia para visitar Valparaíso e Viña del Mar.

Fomos de excursão, saímos de Santiago às 9h. No caminho o ônibus parou em um restaurante na estrada, para esticar as pernas e comprar artesanato. Ali fomos recepcionados com uma bebida chamada “chicha”, bebida típica de uva, com baixo teor alcoolico (0,4%), que achamos muito doce. O local, na nossa opinião, é só um “pega-turistas”.

Pelo caminho são diversos vinhedos.

Valparaíso é datada de 1720 e é patrimônio da humanidade desde 2008. É uma cidade portuária e é onde funciona o Congresso Nacional. Do Morro de la Concepcion temos a vista da cidade e lá fica uma das casas de Pablo Neruda, a La Sebastiana. A cidade não achamos tão bonita…

Valparaíso, Chile

Morro de la Concepcion, Valparaíso

Valparaíso, Chile

Casa de Pablo Neruda La Sebastiana, Valparaíso

Passamos pela Praça Soto Maior, onde fica o prédio da Marinha e logo em seguida partimos para Viña del Mar.

Viña del Mar é grudada em Valparaíso, porém mais rica e mais bonita. No caminho entre as duas cidades passamos pelo Relógio de Flores, presente da Suíça na Copa do Mundo de 1962, e aproveitamos para tirar fotos.

Viña del Mar, Chile

Relógio de Flores, Viña del Mar

Passamos pela frente do Casino, sem sair do ônibus, também passamos rapidamente por Reñaca, um bairro mais afastado, e paramos no Museu Fonck, onde há um moai original da Ilha de Páscoa bem na frente.

moai de Pascoa

Museu Fonck, Viña del Mar

Excursões são assim, tudo rápido… saímos de lá às 17h15 e chegamos em Santiago às 19h15.

Antes de ir, fui alertada por um colega que na excursão dele o grupo foi levado a um restaurante para almoço, afastado do centro e que era caro, e a maior parte do grupo preferiu voltar ao centro de Viña del Mar para comer. Assim, já espertos, pedimos ao guia que nos deixasse no centro antes de nos levar ao restaurante, para não precisar caminhar tudo de volta, mas ele nos falou que não podia. Na verdade nosso restaurante não era passando Viña, e sim entre Valparaíso e Viña. Enfim, o guia falou que o centro era muuuito longe, que teríamos que comer ali mesmo. O lugar é bem bonito, mas a comida e o atendimento foram completamente frustrantes. O garçon (brasileiro) foi todo malandrão, dizendo que prestava o melhor serviço do Chile, bla… erraram as bebidas, não veio nossa comida, quando veio, depois que o resto do grupo já havia almoçado, a carne estava crua, a comida completamente gordurosa, o atendimento foi péssimo, e nem a conta veio quando decidimos desistir, tivemos que levantar para pagar no caixa. E quando saímos do restaurante, fizemos a curva e adivinhem: o centrinho era logo ali. Não estávamos com mapa nem nada, então não sabíamos, mas seria 10 minutos a pé. Coisas de excursões… há sempre a opção de pegar ônibus ou alugar carro e fazer tudo por conta…

Mais da nossa viagem aqui: Chegada em Santiago e city tour, vinícola Concha y Toro.