Pitacos no Bustour – ônibus que circula pelos pontos turísticos de Gramado e Canela

Bustour é o ônibus de turismo que circula entre Gramado e Canela, passando e parando por pontos turísticos das duas cidades. O passageiro pode subir e descer quantas vezes quiser no dia em que estiver utilizando.
Aqui vamos falar de como foi nossa experiência no Bustour, em março de 2018.


Optamos por fazer o passeio no Bustour pois ele circula entre Gramado e Canela, parando bem na frente de diversas atrações turísticas. O passageiro pode subir e descer quantas vezes quiser no dia em que estiver utilizando o Bustour.

Para começar, vale dizer que o ticket para o Bustour pode ser adquirido nas lojas Brocker Turismo (no centro de Canela e no centro de Gramado), em hotéis credenciados ou mesmo no próprio ônibus. Ao comprar o ticket, é fornecido um folder com as paradas e horários de saída de cada uma delas, e um mapa que indica todas as paradas do Bustour.

A lista de horários é ótima, se o ônibus chegar um pouco antes na parada, ele fica ali até o horário exato da saída, para nenhum passageiro ficar para trás, independentemente do trânsito, caso esteja tranquilo.

Também tem o app do Bustour, com mapa, paradas e horários. Ele identifica onde você está e indica os próximos horários que o Bustour vai passar no ponto de parada mais próximo. O melhor do app é que ele identifica a localização por GPS, não precisa estar na internet.

Nós usamos o Bustour durante 2 dias – fica a dica que é mais barato comprar o passaporte para 2 ou 3 dias do que tickets avulsos para um dia, e eles não precisam ser usados em dias subsequentes. Na primeira vez que subimos no ônibus, o guia anotou no ticket o uso, e no segundo dia entregamos o ticket. Cada dia é colocada uma pulseira de cor diferente nos passageiros, para o motorista e o guia identificarem rapidamente quem está no Bustour.

No primeiro dia nós passeamos basicamente por Gramado. Saímos do Centro em direção ao Lago Negro. Paramos lá para passear e pegamos um outro bus para voltar para o Centro. O legal é que mesmo que você não queira ir a algum ponto turístico específico, você vai até a frente e ouve um pouco da história do local, que vai passando no bus a cada trecho. Fizemos algumas voltas pelo Centro e depois pegamos o ônibus novamente, para voltar ao nosso hotel, que ficava na rota do Bustour.

No outro dia, já mais “experientes”, anotamos todos os pontos que queríamos parar, de Gramado a Canela. Aí fomos na ordem do ônibus, para não ter que fazer toda a rota de novo para chegar em algum ponto pelo qual havíamos passado mais cedo. Assim fomos parando e nos guiando pelo horário do próximo ônibus para continuar o caminho.

Não vou listar aqui todas as paradas, porque no site e app da Bustour tem todas as informações bem completas, confere no site: https://www.bustour.com.br

Achamos a viagem no Bustour bem tranquila, o ônibus vai devagar, e em cada parada esperam todos os passageiros saírem e entrarem sem pressa. Estávamos com criança pequena e não tivemos nenhum problema em relação a isso.

Valeu a pena?

Tem muito museu e atividades bacanas para adultos e crianças em Gramado e Canela, e o Bustour para na frente ou perto de muitas delas. Mas como tínhamos a Dora com 2 aninhos, optamos por não entrar nas atrações que poderiam ser maçantes para ela ou estressantes para nós. Assim, foi bem legal acompanhar o city tour e as informações passadas no ônibus, mesmo sem parar em diversas atrações. E calculando os gastos, concluímos que vale a pena financeiramente também, pois pensando por alto quanto custaria cada trecho se pegássemos um táxi/uber, gastaríamos bem mais que o valor do ticket para o dia todo. Fora o fato de poder passar pela frente de lugares que provavelmente não iríamos, e assim conhecer as atrações de Gramado e Canela, mesmo que por fora, e ter uma noção de como funcionam.

Outra coisa interessante é que quem está no Bustour tem descontos em diversas atrações pelas quais o ônibus passa, e o próprio guia vende ingressos para alguns passeios, também com desconto. É só perguntar para os guias, foram todos ótimos, auxiliam com dúvidas sobre paradas, turismo, ingressos e sobre as duas cidades.


Informações Bustour:
Site: https://www.bustour.com.br
E-mail: vendas@bustour.com.br
Endereço Gramado: Brocker Turismo – Avenida das Hortênsias, 1845, Centro
Endereço Canela: Brocker Turismo – Rua Borges de Medeiros, 851, Centro
Endereço Canela: Loja Bustour – Praça da Matriz, 69, sala 9, Centro


Valores na nossa visita em março/2018:
Um dia – R$69,00 por pessoa
Dois dias – R$109,00 por pessoa
Três dias – R$138,00 por pessoa
Pacote família – R$159,00 – (1 casal e 1 filho + R$59,00 cada filho extra)
Crianças de 6 a 12 anos e idosos a partir de 60 anos – R$59,00
Menores de 6 anos não pagam.

 

Anúncios

Buenos Aires, Argentina – chegada e hotel – Dicas de viagem Parte 2/5

Recentemente visitamos Buenos Aires e trazemos aqui nossa experiência, para quem também estiver planejando dar um pulo na capital porteña.

Dividimos nossas dicas em 5 postagens, para não ficar uma só muito extensa, e no vídeo vocês podem conferir tudo que filmamos por lá!

Veja o vídeo aqui:

Na primeira postagem publicamos o vídeo de melhores momentos e nessa segunda parte (2/5), falamos da chegada em Buenos Aires pelo aeroporto de Ezeiza, da saída e da escolha do hotel.

Buenos Aires é uma cidade muito grande, com muita coisa para fazer. Ficamos três dias inteiros, tempo ideal para ter um gostinho da cidade, conhecer os principais pontos turísticos, comer uma boa carne e assistir a um show de tango. Porém, para explorar mais, para aproveitar tanta coisa que ela tem a oferecer, com certeza é necessário bem mais tempo. Nós fomos em alguns pontos e deixamos de fazer alguns tópicos de interesse, por falta de tempo. Que bom que é tão pertinho e vira e mexe aparecem boas promoções de passagens!

recoleta

Chegada e saída

Nossa viagem foi independente, sem agência de viagem contratada no Brasil, então escolhemos o hotel conforme dicas de amigos e opiniões que lemos na internet.

Quanto à ida do aeroporto ao hotel, ficamos na dúvida se era melhor pegar um táxi ou contratar um transfer. Para nossa segurança e comodidade, optamos por contratar um transfer, indicado por uma amiga que foi a Buenos Aires recentemente e usou os serviços da agência de lá mesmo, Funny Times Travel. O atendimento foi todo em português, por e-mail, com a Karina, brasileira que mora em Buenos Aires. Estamos indicando aqui a agência, porque chegamos a ela por indicação e tivemos um ótimo atendimento. Eles oferecem transfer aeroporto-hotel-aeroporto e várias opções de passeios em Buenos Aires, como city tour, show de tango e outros passeios. Além do transfer também fizemos o city tour com eles, e contratamos um show de tango, o Señor Tango, sobre o qual falamos em outra postagem (parte 4/4). Quem estiver indo para lá e tiver interesse, pode contatar a Karina no e-mail kaenebelo@hotmail.com. – *Atualizando o post, o e-mail para contatá-los é info@funnytimestravel.com ou karina@funnytimestravel.com

Chegamos no aeroporto de Ezeiza às 16h, e depois de imigração e de pegar as malas (tudo bem tranquilo e rápido), chegamos ao hotel no bairro da Recoleta às 17h20 (o trajeto aeroporto-hotel levou em torno de 30 minutos, numa terça-feira). Da mesma forma, no retorno voltamos com o transfer contratado, mas o trajeto levou 50 minutos (sábado).

Instalados no hotel, na sequência fomos recebidos por uma representante da agência Funny Times Travel, que foi levar os vouchers dos serviços que contratamos e acertar o horário do transfer de retorno, e ela também faz câmbio, para quem não levou nenhum peso argentino.

* Alguns restaurantes e algumas lojas em áreas mais turísticas aceitam reais ou dólares, mas é importante ter pesos para lugares que não aceitam outra moeda, e principalmente para táxi.

Quem fizer um voo assim como o nosso que chega no fim da tarde, esse primeiro dia pode ser aproveitado para explorar um pouco o bairro, ou para curtir um restaurante ou barzinho.

Nosso voo de volta para o Brasil foi às 16h20. Como o checkout no hotel era até às 12h, não quisemos ficar na correria caso saíssemos para passear pela manhã, então tomamos café com calma e nos preparamos para o retorno. Nosso transfer nos buscou 11h50 (combinamos meio dia com a agência), e 12h40 estávamos no aeroporto de Ezeiza (50 minutos de trajeto, demorou mais tempo que na chegada, note-se que chegamos num dia de semana e partimos num sábado). Entramos direto para a área de embarque, e às 13h15 já havíamos passado pela imigração, foi tudo bem rápido e tranquilo novamente, tanto o depósito das malas como a imigração. O free shop de do aeroporto Ezeiza é bem grande, com uma loja maior logo na entrada, e várias outras lojinhas ao longo dos portões.

floralis-generica

Hotel

Queríamos ficar no bairro Recoleta, então pesquisamos na internet, em sites de dicas de viagens e de reserva de hotéis, e escolhemos o Hotel Etóile. Ele fica bem em frente ao cemitério da Recoleta. O hotel é um pouco antigo, e vimos algumas reclamações sobre instalações antigas e o fato de anunciarem cama queen size, quando na verdade a cama é regular. De fato a cama não era queen, era uma cama simples de casal, mas confortável, e o chão do quarto é revestido com carpete com algumas manchas. Mas em geral consideramos o quarto e o banheiro bons. O atendimento do hotel foi muito bom, todos sempre solícitos. Fica sempre um segurança na entrada. Café da manhã servido no restaurante no hall do hotel, bem servido, com bastante opção. O hotel também conta com uma área de academia e spa, que inclui sauna e piscina. Não usamos a academia, mas fomos olhar e é bem equipada. Também não usamos os serviços do spa e a sauna. A piscina é aquecida e é necessário o uso de toucas de natação. Quem não tiver, o hotel vende a 30 pesos cada, em torno de 10 reais. Vale mencionar que o acesso à academia, à sauna e à piscina está incluso no valor da diária.

Em nossa pesquisa, vimos que alguns hotéis são tipo apart-hotel, com uma mini copa junto ao quarto, com fogão, microondas, pratos e talheres, muito útil para quem quer economizar, passar no mercado e fazer algumas refeições no hotel. O Etoile não é assim, contava apenas com frigobar.

galerias pacifico

Nas próximas postagens falamos sobre nossos passeios, aguardem!

Parte 1/5 – clipe de highlights da viagem a Buenos Aires

Parte 3/5 – city tour, Centro e bairro La Boca/Caminito

Parte 4/5 – conhecendo o bairro da Recoleta

Parte 5/5 – comida típica, show de tango, dicas extras


Viagem Santiago, Chile – Roteiro – Parte 5/5

Compartilhamos nas postagens anteriores nossa experiência de viagem no Chile.

Vamos deixar aqui nosso cronograma, que pode ser útil para quem está planejando ir para lá:


Dia 1 – Saída de Guarulhos 9h05 e chegada em Santiago 12h20 – 4 horas de voo (uma hora de diferença). Fomos para o hotel e aproveitamos a tarde para passear pelo bairro.
Dia 2 City tour guiado pela manhã e vinícola Concha y Toro à tarde.
Dia 3Passeio Valparaíso e Viña del Mar.
Dia 4Dia livre
Dia 5 – Dia livre
Dia 6 – Retorno – o transfer nos buscou no hotel às 10h30 e nosso voo saiu as 13h30, com chegada em Guarulhos às 19h (4 horas de voo, lembrando que voltamos ao nosso fuso horário).

Nas postagens anteriores resumimos um pouco de cada dia, é só clicar ali em cima para acompanhar.

Adoramos nossa viagem a Santiago, é relativamente perto, tem diversas coisas para se fazer e é super interessante!

Viagem Santiago, Chile – Dia livre, passeios – Parte 4/5

City tours nunca nos levam a todos os lugares interessantes das cidades, então, sempre que viajamos, mesmo quando optamos por fazer alguns passeios com excursão e city tour guiado, gostamos de tirar alguns dias livres, para conhecer o que o city tour não cobriu.

Na nossa viagem para Santiago, reservamos dois dias completamente livres, sem passeios com excursão, para visitarmos outros pontos aos quais o city tour não nos levou, mas que queríamos conhecer.

Então no primeiro dia livre, fomos ao bairro Belas Artes, um bairro de artistas, com vários barezinhos. Lá fica a casa de Pablo Neruda La Chascona. Visitamos a casa, muito interessante, vale a visita! E almoçamos ali pelo bairro.

Depois do almoço, caminhamos até Cerro Santa Luzia, que tem um mirante no topo. Nesse morro não se sobe de ônibus, fomos a pé. O Marcos quase teve um treco, mas eu queria ir até o topíssimo e ele teve que acompanhar rsrsrs. Tá, lá em cima bate uma ventania… não indicado para quem tem medo de altura.

Já tínhamos feito basicamente tudo o que havíamos planejado, então no nosso segundo dia livre passeamos pelo bairro onde estávamos hospedados, fomos ao Costanera Shopping. Bem, constatamos que poderíamos ter passeado mais no dia anterior e não precisávamos de dois dias livres. Mas essa dica já não vale para quem pretende visitar museus, por exemplo.

Ao procurar fotos para postar aqui, percebemos que quase não tínhamos fotografo nesses 2 dias… ficamos andando em volta e acabamos nem lembrando muito da câmera. Mas tem fotos nas postagens anteriores: City tour, Vinícola Concha y Toro, Valparaíso e Viña del Mar.