Tesouro do Oriente – comida árabe em clima de tradição oriental

Recentemente (agosto de 2017), o restaurante Tesouro do Oriente abriu as portas, no Centro de Floripa, com loja, cardápio árabe e ótimos vinhos na adega.

Fomos lá, a uma degustação de vinhos catarinenses e espanhóis, acompanhada de sequências árabes da casa, e adoramos as opções.

Todos os pratos podem ser pedidos separadamente, mas eles também contam com alguns combinados, que traz um pouco de cada.

Iniciamos nossa harmonização com o Combinado Biblos, com quibe cru, coalhada, hommus, babaganoush, tabule, e em seguida provamos o Combinado Tripoli, com esfiha de carne, arroz Mjadara, quibe frito, salada fatouch, kafta. Na verdade, a salada do Tripoli é o tabule, mas como teve tabule no combinado anterior, no segundo foi substituído pelo fatouch.

Combinado Biblos

Combinado Tripoli

Os pratos vieram acompanhados de pão sírio, e estava tudo muito bem preparado. Adorei as pastas, e até o Marcos que não é muito fã de comida árabe aprovou tudo e comeu com gosto! Rsrs

Provamos, ainda, o falafel, bolinho de grão de bico, que foi o que menos fez sucesso na mesa. Minha sugestão fica para os quibes e pastinhas.

Falafel

De sobremesa, foi oferecido um iogurte natural com geleia de damasco, produzida ali mesmo. Estava bem leve e bem doce. Mas ela não está no cardápio, então quem quiser, tem que conferir com eles se está sendo servida no dia.

Sobremesa

Foram apresentados alguns vinhos disponíveis na casa, catarinenses e espanhóis, selecionados por sommeliers que auxiliam na escolha dos rótulos do restaurante.

Vinho branco espanhol selecionado

Vinho tinto espanhol selecionado

Como o restaurante é integrado com a loja, o espaço é todo ornado com produtos do Oriente, o que traz um ar de cultura oriental a todos os cantos.

Restaurante


Endereço: Rua Bocaiúva, 2224, Centro, Florianópolis/SC


Valores em nossa visita, em setembro/2017:

Combinados – R$77,00
Falafel – R$21,00

 

Anúncios

Bucket list: Comer comida libanesa

Eu adoro provar tudo que é tipo de comida, conhecer novos sabores… o Marcos nem tanto, mas me acompanha nas minhas aventuras gastronômicas, optando pelo que tiver de mais “normal” no cardápio.

Aproveitando o Restaurant Week que aconteceu em Floripa, de 22/09 a 12/10, fomos com nossos amigos Rhiane e Paulo conhecer um restaurante libanês que estava participando do evento.

Confesso que não sei qual a diferença entre culinária árabe e libanesa, imagino que dentre as cozinhas árabes, cada país tenha sua variação, seu tempero… Enfim, pelo cardápio, percebemos que os pratos são basicamente os mesmos que encontramos nos restaurantes intitulados “árabes”.

De qualquer forma, como fomos ao restaurante para provar o menu fixado para o Restaurant Week, as opções eram:

 Menu 1
-Entrada: Quibe frito – quibe recheado com carne moída, cebola e castanha do pará, temperado com especiarias e frito na hora
-Prato Principal: Fatti de mignon – mignon em cubos cozidos com grão de bico, servido com coalhada temperada em especiarias e coberto com amêndoas e torradas de pão árabe
-Sobremesa: Malabie – creme de leite aromatizado com água de laranjeira, coberto com nozes e amêndoas

 Menu 2
-Entrada: Fatouche – salada com alface, morango, hortelã, cenoura e torradas de pão árabe, temperada com molho especial do Chef
-Prato principal: Picanha à moda libanesa – fatias de picanha grelhada, servida com legumes cozidos e refogados na manteiga, acompanhada de arroz mediterrâneo
-Sobremesa: Ataif de castanhas – trouxinhas de nozes e amêndoas regadas com mel de laranjeira

 

Para provar tudo, cada casal pediu um de cada!

 Entradas

Quibe não é novidade para ninguém… eu gosto! Só acho que não foi “frito na hora” como na descrição.

O molho da salada era gostoso, só não encontrei as alfaces rsrsrs, foi substituído por repolho roxo.

Acabamos esquecendo de tirar fotos do quibe e da saladinha.

Pratos principais

O fatti de mignon foram cubinhos de carne servidos com bastante grão de bico, o que acabou deixando o prato com muito gosto do grão de bico, escondendo outros sabores e acabamos não gostando muito.

A picanha à moda libanesa estava mais apetitosa, servida com vagem, cenoura e batatas. Eu gostei da carne, mas o Marcos e o Paulo acharam um pouco insosso. Acompanhou arroz mediterrâneo, um arroz temperado e com amêndoas, torradas de pão árabe e tâmaras, o que agradou o Marcos que gosta de misturar doce e salgado.

Comida libanesa

Sobremesas

A sobremesa eu já sabia que não seria o ponto alto para mim, pois já havia comido vários doces árabes em São Paulo e não gostei… mas enfim, estávamos lá para provar!

O ataif de castanhas parecia um pastelzinho feito com massa de panqueca, recheado com nozes e coberto com amêndoas. A massinha era ok, mas talvez pelo mel de laranjeira tenha ficado muito doce e eu, o Marcos e a Rhiane só provamos. O Paulo foi corajoso e comeu até o final!

O malabie parecia um pudim branco, mas esse ninguém conseguiu comer até o final. Regado com água de laranjeira, a dúvida era se a cobertura melhorava ou piorava…

 

Não sabia que Florianópolis tinha um restaurante libanês, mas pelo que li na internet, esse tem uns 2 ou 3 anos. A decoração é no estilo árabe, com tapetes nas paredes, espadas, instrumentos musicais e um cantinho com produtos para venda. Acredito que o dono seja libanês, pois veio nos perguntar se tínhamos alguma ascendência árabe. Fomos num sábado, e teve apresentação de dança do ventre. Eu gosto de manifestações culturais, especialmente quando estou em algum lugar justamente para aprender sobre alguma cultura diferente. Foi uma pena que lá é um pouco pequeno, a apresentação foi entre as mesas e os clientes não estavam muito participativos… mas o Marcos até entrou no clima e batucou um riq (pandeiro) enquanto batíamos palmas!

Infelizmente não tivemos muito prazer com a comida, mas foi interessante conhecer o lugar, provar pratos típicos libaneses, conhecer um pouquinho do Líbano, mesmo que daqui do Brasil! E assim riscamos da lista de “coisas para fazer antes de morrer” o item comer comida libanesa!